SINDCONAM-SE


Cidades
Edição de sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Samu Natal // Greve deixa apenas cinco ambulâncias em operação




Uma média 226 ligações por dia agora terão de ser atendidas por apenas cinco ambulâncias do serviço de atendimento móvel de urgência (Samu) Natal, que entrou em greve desde ontem. O principal motivo, segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Natal (Sinsenat), José Roberto Linhares, foi o corte feito pela administração municipal em 80% da remuneração extra por adicional noturno dos plantonistas. A categoria une-se a outras do funcionalismo municipal, como assistentes sociais e guardas municipais. Na próxima terça, os servidores acamparão em frente ao prédio da prefeitura, em Cidade Alta, como forma de protesto. O chefe do Gabinete Civil da prefeitura, Caio César Medeiros, alega que o cálculo do reajuste estava errado e foi corrigido, motivando o corte.


Samu recebe uma média diária de mais de 200 chamados na capital. Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press
Segundo dados do Samu Natal, o serviço recebeu 48.287 ligações entre janeiro e julho deste ano. Desde ontem, com a deflagração da greve, apenas 42% da frota municipal estará disponível para atender essas ocorrências. O percentual corresponde aduas ambulâncias para socorro e outras três para remoção simples de paciente. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informa ainda que apenas os enfermeiros e técnicos em enfermagem do Samu aderiram à greve, enquanto que os paramédicos e condutores das ambulâncias permanecem atendendo.

José Roberto Linhares, do Sinsenat, questiona o corte no adicional noturno. "Há dois anos que vínhamos recebendo dessa forma e fomos pegos pelo corte. Queremos de volta o direito que tínhamos a uma remuneração justa". Segundo o presidente do sindicato, todos os plantonistas municipais, incluindo guardas e profissionais da saúde, sofreram o corte que afetou o salário dos servidores pagos em julho e este mês, com base em um decreto de 29 de maio deste ano. Por esse motivo e também cobrando melhorias das condições de trabalho, parte dos servidores do município está em greve desde o último dia 2 e agora ganharam apoio do Samu, chegando a um total de 2 mil funcionários.

Caio César Medeiros explica que, segundo a legislação trabalhista, o pagamento de horas extras por adicional noturno é de 25%. "Mas, não sei o motivo, os servidores estavam ganhando 125% pelo adicional. Nós refizemos o cálculo e passamos a pagar como se deve. Agora estamos pagando o correto". Ainda de acordo com o secretário, as negociações em torno do tema estão sendo feitas com acompanhamento da Justiça e espera-se que em breve seja feita nova audiência de negociação. (Paulo de Sousa)

 



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!